quarta-feira, 8 de julho de 2009

IIIº FESMAN - Festival Mundial de Artes Negras

Artitas Negros e Negras,

Fiquem atentos, acontecerá em Dezembro próximo em África - Senegal - Dakar, o 3º Festival Mundial de Artes Negras , tendo o Brasil como país homenageado. Esta para acontecer a vinda da fundação Palmares a Belém para tratar do assunto. O evento será em forma de edital, os participantes concorreram. Creio que para não haver peixada!

Vai ser um evento espetacular. 

Tentei conseguir um Navio da Marinha brasileira para levar os artista, porém, quando disse o que queria não mandaram mais notícias. Rsrsrsrs

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Listagem de delegados e observadores da II CONEPPIR-PA.

O credenciamento começa as 14h de quinta-feira, dia 14, e vai até o meio dia da sexta-feira 15 de maio.

CREDENCIAMENTO DOS DELEGADOS - INTERIOR DO ESTADO
A - E
ORD Nome Município Contato Assinatura
1. Adilson Corrêa da Costa Gurupá
2. Adilton Alves B. de Medeiros Baião
3. Adriano Sousa Espindola Augusto Corrêa
4. Agenor Ramos Pombo Gurupá
5. Alcebirdes de Almeida Salvaterra
6. Alci de Oliveira Maia Castanhal
7. Alice Trindade Maciel Concórdia do Pará
8. Ana Cristina Araújo Ferreira Lima Castanhal
9. Anelita Alves Macedo Cachoeira do Piriá
10. Antonina Borges Santana Concórdia do Pará
11. Antonio Xavier Dias Cametá
12. Arístides Nascimento dos Santos Breves
13. Brenda Tavares Felix Breves
14. Bruno Amir Silva Vasconcelos Santarém
15. Carlos Caetano dos Santos Óbidos
16. Celino Pereira Vizeu
17. Charley Ernesto Pinto da Silva Castanhal
18. Claudio Marcio Lopes Nascimento Acará
19. Cristiam Oliveira Alves Cachoeira do Piriá
20. Damiana Barros do Nascimento Castanhal
21. Denílson Batista Rodrigues Ferreira Castanhal
22. Deonata Baia Santana Baião
23. Dilena Viana Pinheiro Oriximiná
24. Dileudo Guimarães do Santos Santarém
25. Dílson Maria das G. Serrão Baião
26. Eder Luis Nascimento dos Santos Abaetetuba
27. Edilson da Conceição Correa C. da Costa Abaetetuba
28. Edinho Santos de Castro Gurupá
29. Edson de Oliveira Nogueira São Domingos do Capim
30. Egidio dos Santos Gomes Abaetetuba
31. Eleison Cunha da Silva Mocajuba
32. Elieide Assunção de Sousa Salvaterra






CREDENCIAMENTO DOS DELEGADOS - INTERIOR DO ESTADO
F - L
ORD Nome Município Contato Assinatura
1. Felipa Neri da Silva Acará
2. Fernando Feitosa Rodrigues Castanhal
3. Bentes Abreu Filho Breves
4. Francisca Oliveira da Silva Irituia
5. Francisco dos Santos Abaetetuba
6. Francisco Fagner dos Anjos Castros Santarém
7. Francisco Sales Nascimento dos Santos São Miguel do Guamá
8. Gercino Vilhena da Costa Abaetetuba
9. Gianno Gonçalves Quintas Belém
10. Haroldo Junior Miranda da Conceição Salvaterra
11. Ieldo dos Santos Acará
12. Irandilva Miranda Dantas Soure
13. Ivete da Conceição Rodrigues Salvaterra
14. Ivone Rodrigues de Souza Salvaterra
15. Izomar da Silva Oliveira Cachoeira do Piriá
16. Jaqueline Alcântara da Conceição Salvaterra
17. Jesus de Nazaré de Souza Santos Porto de Moz
18. João Fernandes de Jesus Curralinho
19. João Trindade Maciel Concórdia do Pará
20. Jorge dos Santos Ferreira Concórdia do Pará
21. José da Silva Dias Baião
22. Jose Fernando da Conceição Leal Salvaterra
23. Jose Ilton Pombo Fernandes Gurupá
24. Jose Lucio dos Santos Vieira Oriximiná
25. Jose Luiz Jirard Martins Santarém
26. Jose Maria Baia da Conceição Gurupá
27. Jose Maria de Carvalho Souza Cametá
28. José Maria de Mendonsa Pantoja Colares
29. José Silvano Silva Santos Oriximiná
30. Julio Ferreira da Silva Abaetetuba
31. Leonildo da Cruz Santarém
32. Liduina Maria Arte de Farias Baião







CREDENCIAMENTO DOS DELEGADOS - INTERIOR DO ESTADO
M - Z
ORD Nome Município Contato Assinatura
1. Manoel Raimundo Borges Filho São Miguel do Guamá
2. Maria da Conceição Sarmento dos Santos Salvaterra
3. Maria da Silva Gurupi
4. Maria de Nazaré Reis Santo Luzia do Pará
5. Maria do Livramento dos Santos Batista Prainha
6. Maria dos Santos Passos Farias Abaetetuba
7. Maria Dulcira Lopes da Costa Alenquer
8. Maria Jose Alcântara Carneiro Salvaterra
9. Maria José Pereira de Brito Acará
10. Maria Rosa de Jesus Oliveira Curralinho
11. Maria Suely dos Santos Almeida Colares
12. Mario Fernando Martins Bentes Santarém
13. Mário Médici Costa Barbosa Castanhal
14. Marlene Rodrigues Conceição Mocajuba
15. Marlete Carla Santos Leal Salvaterra
16. Max Gonçalves Leite Mocajuba
17. Moises Barbosa Paiva Concórdia do Pará
18. Oneide Monteiro Rodrigues Belém
19. Osvaldo Neves Baião
20. Osvaldo Pereira dos Prazeres Salvaterra
21. Páscoa Alves de Macedo Cachoeira do Piriá
22. Raimunda Nonato de Oliveira Irituia
23. Raimundo Elinaldo de Jesus Ribeiro Curralinho
24. Raimundo Nonato B. de Medeiros Baião
25. Rebeca Tainã Souza dos Santos
26. Reginaldo Cardoso dos Santos Abaetetuba
27. Rogério dos Santos Cardoso Moju
28. Rosangela Maria Silva Borges Acará
29. Sandro José Tares Navarro Santarém
30. Santa Vieira do Arte Porto de Moz
31. Sebastião Pereira da Costa Concórdia do Pará
32. Severino Pinheiro Ramos Santo Luzia do Pará
33. Sidiclei Barros Miranda Breves
34. Teodorico Silva de Abreu Concórdia do Pará
35. Tereza Cristina da Silva leal Salvaterra
36. Valberto de Almeida Maia São Domingos do Capim
37. Valdirene Malcher Cardoso Acará
38. Waldeci Silva da Silva Concórdia do Pará
39. Zoleide Cardoso e Cardoso Moju




























CREDENCIAMENTO DOS DELEGADOS - REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM
A - C
ORD. Nome Município Contato Assinatura
1. Adriano Favacho Lobato BELÉM
2. Adriana Henderson Matos BELÉM
3. Alan Patrick da Costa BELÉM
4. Alberto Paulo Martins BELÉM
5. Alice do Socorro Amoras BELÉM
6. Allan de Jesus Preste dos Santos BELÉM
7. Alyni Maciel Amador Belém
8. Amador da Conceição S. Filho BELÉM
9. Ana Carolina Silva Pereira Belém
10. Ana Medeiros BELÉM
11. Ana Paula Vale Chagas Mosqueiro
12. Ana Rosa Soares da Cunha Belém
13. Anderson Junior Ferreira da Cruz BELÉM
14. Anderson Mariano Cardoso BELÉM
15. Andréia Cristina da Cunha Albernaz BELÉM
16. Andréia Narjara Silva Pereira Belém
17. Antonio Alves da Silva Belém
18. Antonio José Amaral Ferreira BELÉM
19. Antonio José Ferreira BELÉM
20. Antonio Marcos de Sousa Reis BELÉM
21. Arcângela Maria Freitas de Souza BELÉM
22. Arthur Leandro BELÉM
23. Benedita Cristina Amaral Diogo Belém
24. Berenice Chaves do Vale Mosqueiro
25. Brena Santos Corrêa BELÉM
26. Bruno Santos Corrêa Belém
27. Célia Cristina Pereira BELÉM
28. Cipriano Filho Belém
29. Claudia Antonia Leite Rodrigues BELÉM
30. Cléa Dias Gomes BELÉM
31. Clemilda Andrade BELÉM
32. Cleobery José Coelho Barros BELÉM
33. Clodoaldo Silva de Souza Belém
34. Creuza Noêmia Monteiro Ferreira Outeiro








CREDENCIAMENTO DOS DELEGADOS – REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM
D – I
ORD. Nome Município Contato Assinatura
1. Daniel Mendes da Silva BELÉM
2. Danielle da Silva Ferreira BELÉM
3. Doraci Soares das Dores BELÉM
4. Ed Carlos Garceiz Mescouto BELÉM
5. Edilamar dos Anjos Conceição BELÉM
6. Edivânia de Galileia Câmara A. Carvalho BELÉM
7. Edson Rogerio Nascimento Cruz Belém
8. Eliana Corrêa dos Santos Belém
9. Eliezer Moraes dos Santos Belém
10. Elizandra Belarosa Rodrigues Belém
11. Elizabeth Leite Pantoja BELÉM
12. Eneida Maria de Albuquerque Santos BELÉM
13. Enilson Nonato da Silva BELÉM
14. Erika Silva da Conceição Ananindeua
15. Evandro Saulo Fonseca de Abreu BELÉM
16. Fabíola Cristiane Matos Marques BELÉM
17. Fernando Antônio Santos Rodrigues BELÉM
18. Florivaldo JinKings BELÉM
19. Francisco S. da C. Batista Belém
20. Francisco Brelaz BELÉM
21. Francisco Sinval Batista BELÉM
22. Gianno Gonçalves Quintas Belém
23. Glaiciane Barbosa Carvalho BELÉM
24. Gleidson Alves Pantoja BELÉM
25. Glenda Oliveira Souza BELÉM
26. Gleyson de Souza Oliveira Belém
27. Hannah Andrade de Hadad Angelim BELÉM
28. Hanny Silva Abreu BELÉM
29. Hellen Luiza Lobo Reis BELÉM
30. Idália Telles do Nascimento BELÉM
31. Igina do Socorro da Mota Sales BELÉM
32. Iza Maria Castro dos Santos BELÉM







CREDENCIAMENTO DOS DELEGADOS – REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM
J – L
ORD. Nome Município Contato Assinatura
1. Jaerli Santos da Silva Belém
2. Jair Gomes Vale Mosqueiro
3. Jairo Silva BELÉM
4. Janaina Barbosa de Oliveira BELÉM
5. Joana Carmem Nascimento Belém
6. Jose Batista de Oliveira Santana BELÉM
7. José Carlos Gadelha Pinheiro BELÉM
8. José Claudio Santos Silva BELÉM
9. José Izuilo Ferreira Gomes BELÉM
10. José Liberato Gomes Nogueira Belém
11. José Maria Lobato Pantoja BELÉM
12. José Marivaldo Conceição Belém
13. Jose Pinheiro Veras (Lorrany) Belém
14. José Ribamar Fernandes BELÉM
15. José Ribamar Braun Viana BELÉM
16. Joseane Franco Lopes BELÉM
17. Kamélia Andrade de Hadad Angelim BELÉM
18. Katia Andrade de Hadad BELÉM
19. Katia Jurema Freitas de Sousa BELÉM
20. Kelly Cristina Vale Barbosa Mosqueiro
21. Kelly Oliveira Moreira BELÉM
22. Leila Magalhães Belém
23. Lenilda Souza de Alencar Belém
24. Leonina Cardoso Belém
25. Leon Carlos Santana Lopes Belém
26. Lilian Carolina de Araujo Santana Belém
27. Lisandra Castro BELÉM
28. Lívia Cristina de Araujo Santana Belém
29. Luciano Canosa Teixeira Belém
30. Luis Marcio dos Santos Macedo BELÉM
31. LUIZ Augusto Loureiro BELÉM
32. Luiz Carlos Leal dos Santos BELÉM
33. Luiz Guilherme Vale da Luz BELÉM
34. Luiz Nunes Santana da Silva Belém
35. Luiza Helena da Silva Costa Belém
36. Luziane Ferreira BELÉM






CREDENCIAMENTO DOS DELEGADOS – REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM
M - P
ORD. Nome Município Contato Assinatura
1. Maiara de Almeida Correa BELÉM
2. Marcele Carolina Gomes Silva Mosqueiro
3. Marcelo de Paiva Pinheiro Belém
4. Marcilio de Jesus dos Santos Medeiros BELÉM
5. Marcos Soeiro BELÉM
6. Margarida Maria dos Santos Damaiceno BELÉM
7. Maria da Consolação Silva Cabral BELÉM
8. Maria da Paixão Anjos Alcantara BELÉM
9. Maria da Paixão Ferreira da Costa Belém
10. Maria das Graças Reis Santana BELÉM
11. Maria de Fátima Mattos Belém
12. Maria de Lourdes Monteiro Barbosa BELÉM
13. Maria de Lurdes Silva de Souza Belém
14. Maria de Nazaré Barbosa Marciel BELÉM
15. Maria de Nazaré Costa da Cruz Belém
16. Maria José Souza Sobrinho BELÉM
17. Maria Luiza C. Nunes Belém
18. Maria Madalena Pinheiro da Cruz BELÉM
19. Maria Raimunda Alves de Miranda BELÉM
20. Maria Santana da Costa Barbosa Ananindeua
21. Marta Ilizia Silva da Cunha BELÉM
22. Mirian Santos dos Santos BELÉM
23. Natalino Sales da Cruz Belém
24. Nilton Barnabé Caldas da Hora BELÉM
25. Odalícia O Neves Conceição BELÉM
26. Oneide Monteiro Rodrigues Belém
27. Oswaldo Coelho Belém
28. Paulo de tarso BELÉM










CREDENCIAMENTO DOS DELEGADOS – REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM
Q – Z
ORD. Nome Município Contato Assinatura
1. Regina Célia Amaral Gomes BELÉM
2. Rita de Fátima Sousa de Matos BELÉM
3. Rita Elidiane Pereira da Silva BELÉM
4. Ronaldo Cruz Rodrigues Belém
5. Rosana Freitas BELÉM
6. Rosangela dos Anjos Reis Belém
7. Rosangela M. Souza Santos BELÉM
8. Rosiani Sanches Mourão Belém
9. Rychelle Rosy Macedo Pantoja BELÉM
10. Shirley Muryel Ferreira Albuquerque Belém
11. Silverio Amaral dos Santos BELÉM
12. Silvia Liani Calazan Lima BELÉM
13. Silvina Macedo dos Santos BELÉM
14. Simone do Socorro Miranda Mendes BELÉM
15. Sonia Cruz e Silva BELÉM
16. Taiana dos Santos Soares BELÉM
17. Valdeci Justino Silva Jr BELÉM
18. Valdilene Rodrigues da Cunha Belém
19. Valter dos Santos Vieira BELÉM
20. Vanderlei Marciel Pinheiro Belém
21. Virginia Lunalva Miranda de S. Almeida BELÉM
22. Vitor Samuel Moraes BELÉM
23. Walter Hermenegildo de Moraes Jr BELÉM
24. Wanderlei Santos Santana da Silva BELÉM
25. Yeda Collyer de Santa Brigida BELÉM

domingo, 10 de maio de 2009

Plenária Afro-religosa encaminha propostas à CEPPIR.

O Coordenador de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da SEJUDH-PA participou da Plenária Livre dos Afro-religiosos ocorrida no Mansu Nangetu, uma comunidade tradicional de terreiro da Nação Angola que recebeu os representantes de outras comunidades de terreiros para discutir propostas de diretrizes de políticas afirmativas para o Estado do Pará.






A discussão prioritária foi a representação da delegação das comunidades tradicionais de terreiros na II CONEPPIR, pois a primeira proposta de composição de 12 delegados desagradou as lideranças Afro-religiosas que participam da organização da Conferência da Igualdade racial desde o ano de 2007, e depois de muita negociação foi elaborada uma proposta de ampliação da delegação de comunidades tradicionais de terreiros para a II CONEPPIR-PA.




Além da discussção da representatividade da delegação, a plenária se dividiu em diversas rodas de conversas para elaborar as propostas para o Plano Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade Racial - PEPPIR, e elaboraram um documento base para discussão na Conferência Estadual.










PROPOSTAS DAS POPULAÇÕES DE COMUNIDADES TRADICIONAIS DE TERREIROS


Cidadania, desenvolvimento, trabalho e renda.
Para a CEPPIR/ SEJUDH: Elaboração/ Revisão do Plano Estadual de Promoção da Igualdade Racial

Sistematizar e estruturar as ações encaminhadas pelas Comunidades Tradicionais de Terreiros organizadas em entidades legitimadas que compõem o Movimento Negro e acrescentar essas propostas ao conjunto de ações já assumidas pelo governo estadual.

Implantar Grupo de Trabalho de levantamento e certificação das Casas de Culto de religiões Afro-amazônicas;
a) Incentivar as prefeituras municipais a cadastrar e certificar as casas de culto das Comunidades Tradicionais de Terreiro

Intervir para o reconhecimento das Casas de Culto de religiões Afro-amazônicas como entidades de utilidade pública;

Dinamizar o reconhecimento das Casas de Culto de religiões Afro-amazônicas como prédio de culto religioso por parte das prefeituras municipais.

Para a SECULT: Incentivo, Fomento, Fortalecimento e Dinamização dos processos de reconhecimento das Casa de Culto de Comunidades Tradicionais de Terreiros como Patrimônio Imaterial do Estado do Pará.

Para a SAGRI, SEDURB e SETER: incentivar o comércio e as atividades agro-pastoris importantes para a manutenção dos rituais religiosos afro-amazônicos, em especial em áreas urbanas e na zona metropolitana de Belém.

Incentivar a pecuária tradicional, bem como a criação em quintais de residências e em pequenos lotes urbanos, de animais de pequeno porte, como caprinos, ovinos e suínos.

Incentivar a criação tradicional, bem como a criação em quintais residenciais, de aves sagradas utilizadas nas liturgias afro-brasileiras.

Criar programa específico de capacitação, fomento, orientação e acompanhamento de criação de aves e animais de pequeno porte em quintais de residências e em pequenos lotes urbanos.

Criar programa específico de capacitação, fomento, orientação e acompanhamento de cultivo de ervas medicinais e/ou de uso litúrgico em quintais e em hortas comunitárias das zonas urbanas.

Criar programa específico de capacitação, fomento, orientação e acompanhamento de cultivo de frutas, verduras e legumes em quintais e em hortas comunitárias das zonas urbanas.

Para a SEMA: Incentivar as prefeituras municipais a utilizar árvores sagradas na arborização de vias e em bosques de praças públicas.

Criar e também incentivar as prefeituras municipais e criar parques ambientais que preservem os igarapés e as matas urbanas utilizadas tradicionalmente como local de culto afro-religioso.

Respeitar o uso tradicional litúrgico de coleta de folhas e realização de oferendas da cultura religiosa afro-amazônica em matas e igarapés localizados em áreas demarcadas como parques ambientais, assim como os da arborização de praças e vias públicas.

Orientar os agentes de proteção ambiental para garantir o livre acesso de comunidades tradicionais de terreiros aos parques ambientais, quando em atividade litúrgicas.

Para a SETER: Incentivar a atividade produtiva das comunidades tradicionais de terreiros.

Criar programa específico para a população de comunidades tradicionais de terreiros para:Capacitação de pessoal; Fomento à produção; e Comercialização de:
1. Cosméticos produzidos com plantas medicinais e/ou de valor litúrgico;
2. Perfumaria com essências de valor litúrgico, inclusive banhos ritualísticos;
3. Velas de uso litúrgico, de uso decorativo e/ou perfumadas;
4. Manufatura têxtil; Estamparia e Moda;
5. Bijuterias e acessórios;
6. Publicações impressas e/ou em mídias eletrônicas;
7. Estatuária;
8. Artesania afro-religiosa;
9. outras atividades de interesse.

Criar programa de incentivo criação de cooperativas de produtos de comunidades tradicionais de terreiros.


Educação e cultura
Para a SECULT: Defender e valorizar o patrimônio cultural material e imaterial;

Incentivar a publicação de literatura com a temática afro-amazônica e fomentar publicações de temáticas afro-religiosas;

Incentivar a produção de literatura, em especial a infanto-juvenil, com a temática afro-amazônica.

Criar Edital específico para a publicação de literatura afro-religiosa amazônica;

Criar programa de capacitação de escritores para as Casas de Cultos de Comunidades Tradicionais de Terreiros

Criar programa de incentivo a leitura em Casas de Cultos de Comunidades Tradicionais de Terreiros.
Realizar o levantamento das manifestações culturais afro-brasileiras e afro-religiosas existentes no Estado do Pará

Catalogar as manifestações da cultura e religiosidade de origem e influência africana no Estado do Pará;

Publicar os resultados da pesquisa em livro(s) e em publicações eletrônicas, inclusive na internet.

Criar programa de capacitação de gravação de produções musicais das Comunidades Tradicionais de Terreiros, incentivar e instalar estúdios experimentais de gravação de áudio em terreiros.

Construção, instalação e funcionamento de Centros de referência das culturas afro-amazônicas em todas as micro-regiões do Estado do Pará.

Criar instituições culturais com a temática afro-amazônica para abrigar e difundir o conhecimento tradicional e a produção cultural afro-amazônica;

Difundir a cultura afro-amazônica através do incentivo á publicação de livros, Cds, DVDs e outras mídias e da distribuição do material produzido. E da criação de veículo de difusão de informação e da produção cultural das comunidades Tradicionais de Terreiros.

Para a SEDUC: Realizar capacitação continuada de professores das escolas públicas próximas de Casas de Culto de Comunidades Tradicionais de Terreiros considerando as práticas religiosas e culturais do entorno de cada escola

Criar programa que promova a aproximação do corpo docente, discente e técnico das escolas localizadas na vizinhança dos terreiros e as que atendem os filhos das populações de Comunidades Tradicionais de Terreiros com as práticas afro-religiosas existentes no seu entorno.

Contribuir com a implantação da Lei 10.639 e Capacitar professores das escolas próximas a Comunidades Tradicionais de Terreiros para a valoração positiva da história e da cultura afro-amazônica e afro-brasileira.

Criar o "Prêmio Amazônia Negra de educação" Para premiar iniciativas e experiências inovadoras de professores da rede estadual de ensino que valorizem positivamente a história e a cultura afro-amazônica e em especial a cultura religiosa existente no Estado do Pará.

Estimular professores da rede estadual de ensino a valorizar a história, a cultura e a participação das populações negras para a construção do Estado do Pará.

Criar um setor específico para a temática afro-amazônica nas bibliotecas escolares; distribuir a produção literária afro-amazônica para as bibliotecas das escolas da rede estadual de ensino básico

Para a UEPA: Criar banco de dados de professores com produção científica compatível com as necessidades da ação; Estabelecer parcerias com outras instituições de ensino e com demais profissionais cuja produção científica seja de interesse da ação;

Criar e implantar programa de extensão de capacitação de professores de escolas de Casas de Cultos de Comunidades Tradicionais de Terreiros. Buscar parceiras com outras instituições de ensino superior e;

Criar programa de pós-graduação interdisciplinar que aprofunde o conhecimento sobre a população de Comunidades Tradicionais de Terreiro no Pará e na Amazônia.

Para a FAPESPA: Incentivo a pesquisa e produção cientifica com a temática afro-amazônica no Pará.
1. Estimular a produção de conhecimento sobre a história e a cultura afro-brasileira no Estado do Pará, em especial sobre as especificidades das manifestações religiosas afro-amazônicas;
2. Fomentar pesquisas científicas com a temática afro-brasileira e afro-religiosa;
3. Contribuir com a valoração positiva da história e da cultura afro-amazônica;
4. Criar, incentivar e disponibilizar para a SEDUC e secretarias municipais de educação, um banco de dados da religiosidade afro-amazônica existentes no Pará.
5. Incentivar a publicação e o uso em escolas de material didático que valorize a participação da população negra na construção da história e da cultura, inclusive a cultura religiosa regional.
6. Criar programa de bolsas específico para incentivar pesquisas em todos os níveis de ensino com a temática afro-religiosa no Estado do Pará. (importante que esse programa não se restrinja aos professores universitários. Que tenha a possibilidade de financiar pesquisa de professores das redes municipais e estadual de ensino básico; e de profissionais qualificados sem vínculos com instituições de ensino) [para a SEDUC: Incentivar os professores da rede estadual de ensino a participar como pesquisadores do programa de pesquisa da FAPESPA; Produzir e distribuir material didático sobre a história, a cultura e a participação social das populações negras na construção do Estado do Pará e da Amazônia].

Comunicação Social.
Para a SEDECT: Instalação de Infocentros (projeto Navega Pará) em Casas de Cultos de Comunidades Tradicionais de Terreiros

Priorizar (ou outro verbo mais apropriado) a instalação de infocentros em Casas de Cultos de Comunidades Tradicionais de Terreiros.

Prover gratuitamente acesso à Internet e a tecnologias digitais para a população de Comunidades Tradicionais de Terreiros (ou a prioridade de implantação do programa cidade digital nas proximidades de terreiros);
Capacitar a população Comunidades Tradicionais de Terreiros para o uso de tecnologias digitais;
Incentivar a população de Comunidades Tradicionais de Terreiros para a produção de sites, de blogs, de conteúdos em áudio, audiovisual e em outras tecnologias digitais;
Para a SECOM: Estimular a criação de, e a participação em, veículos de comunicação da dita grande mídia; e a produção de textos e impressos, de programas de rádio e de televisão, inclusive rádio-web e tv-web.

Criar programa de capacitação em comunicação popular para as populações de Casas de Cultos de Comunidades Tradicionais de Terreiros;
Prover os equipamentos necessários para a instalação de rádios comunitárias em terreiros..

Incentivar a produção e difusão musical nas comunidades Tradicionais de Terreiros através da criação de implantação de rádios comunitárias em Casas de Cultos de Comunidades Tradicionais de Terreiros.
Criar mecanismos de combate ao racismo e à intolerância às práticas afro-religiosas em veículos de comunicação comerciais no Estado do Pará.

Para a SECULT: Criar programa de capacitação em artes digitais, específico para as populações de Comunidades Tradicionais de Terreiros,

Para a FUNTELPA: Combate ao racismo e a intolerância religiosa através de Campanha publicitária televisiva

Criar e manter em sua programação programas televisivos e radiofônicos produzidos e apresentados por membros de Comunidades Tradicionais de Terreiros.

Valorizar positivamente a imagem das populações das Comunidades Tradicionais de Terreiros incluindo essa temática nas pautas dos programas da TV e das emissoras de rádio da FUNTELPA.

Para a SEJUDH: Criar campanha publicitária educativa de combate ao preconceito racial e à intolerância religiosa; de valorização positiva da imagem do negro no Estado do Pará; de valorização da cultura e da religiosidade afro-amazônica no Pará;.

Para todas as secretarias de governo: Distribuir o material produzido para veiculação em escolas e demais instituições públicas estaduais (cartazes em quadros de aviso, áudios nas rádios públicas e/ou em emissoras educativas, vídeos na rede da TV Cultura e em eventos da escola e/ou cerimônias públicas de instituições estaduais).

Propostas sistematizadas por Táta Kinamboji/ Mansu Nangetu.




sexta-feira, 8 de maio de 2009

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Definida a programação da II CONEPIR-PA.

PROGRAMAÇÃO DA II CONEPPIR.

Período de realização: 14 a 16 de maio de 2009.

Local: Hangar - Centro de Convenções.

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DE POLÍTICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL – CONEPPIR.

Apresentação

O Governo do Presidente Luis Inácio Lula da Silva (“O CARA”) ao longo dos seus 6 anos de mandato, melhorou consideravelmente a vida das classes mais pobres do país, com relação a população negra esse avanço passou a se concretizar quando da promulgação da Lei 10.639/03, que obriga o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana e da criação da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – SEPPIR, que criou o Conselho Nacional, o Brasil Quilombola, o FIPPIR e realizou em 2005 a I Conferência de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, que dialogou e fortaleceu a participação democrática da sociedade civil brasileira organizada em relação ao estado, em especial o movimento social negro, além ter a participação de povos ciganos, indígenas, judeus e palestinos incluídos no benefício de tal política.

No Pará a Governadora Ana Júlia Carepa cumpriu reivindicações importantes dos movimentos sociais negros urbanos e rurais (quilombolas) ampliou o que antes foi o “Programa Raízes”, para duas Coordenações: a Coordenação de Igualdade Racial e a Coordenação dos Povos Indígenas, que significa o convencimento e o compromisso político do governo do estado em estabelecer políticas públicas de igualdade racial, a superação do racismo e a discriminação racial.

A incumbência de estabelecer essa política coube a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos, através da Coordenação Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – CEPPIR, que no ano passa em preparação à II Conferência Estadual de Igualdade Racial realizou 10 encontros regionais, dos quais juntou mais de 500 propostas que foram resumidas em 5 eixos principais que deu origem ao Plano Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade racial, meta do atual governo.

Com o nosso plano concluído, a realização da nossa conferência, o conselho estadual criado, o Pará Quilombola, o Comitê Gestor da Agenda Social Quilombola fiscalizando e propondo as ações, os projetos sendo preparados para captar recursos e a II CONFERÊNCIA realizada, poderemos enfrentar a crise buscando recursos do governo federal através da SEPPIR e completar com recurso do nosso governo para atender o máximo de demandas dos afro-religiosos, da juventude, dos quilombolas e das mulheres negras. Esse é o significado e o desejo do diálogo que faremos nessa conferência.

Por: Domingos Conceição

Jurunas: 12 de abril de 2009.

DIA: 14/05/09 (QUINTA).

13:00: Almoço

Credenciamento: início às 14 horas.

Abertura: Início 18 horas.

Governadora, Ministro da SEEPPIR, Organizações negras (rural e urbana), Secretário de Justiça, Ministério Público, Tribunal de Justiça, Assembléia Legislativa, Câmara Municipal e secretários de estado, os demais presentes anunciar a medida do possível.

Rito religioso e cultural: início 18h30min.

Fala das autoridades: início às 19 horas.

Palestra (mesa redonda): Avanços, perspectivas e desafios – Plano Nacional de Igualdade Racial: diretrizes e ações práticas.

18:30: Jantar – Programação Cultural

DIA: 15/05/09 (SEXTA).

7:00: Café da Manhã

8:00 H: aprovação do regimento da II CONEPPIR/PA.

9:00: Debate em plenária sobre Racismo e Intolerância Religiosa..

10h30: Grupos de Trabalho por eixos – 1. Educação e Cultura; 2. Saúde; 3. Segurança Pública; 4. Acesso à Terra; 5. Trabalho, Desenvolvimento e Renda; e 6. Comunicação Social . (com base no PEPPIR e nas demandas dos Movimentos Sociais)

13:00: Almoço - Programação Cultural.

14:30: Exposição sobre o documento base da II CONAPPIR e Durban.

16:00: Grupos de Trabalho por eixos – 1. Educação e Cultura; 2. Saúde; 3. Segurança Pública; 4. Acesso à Terra; 5. Trabalho, Desenvolvimento e Renda; e 6. Comunicação Social . (com base no PEPPIR e nas demandas dos Movimentos Sociais)

18:30: Jantar – Programação Cultural

19:00: Reunião com representantes de entidades negras para tratar do Conselho Estadual.

DIA: 16/05/09 (SÁBADO)

7:00 Café da manhã.

8:00: Debate e aprovação do Plano Estadual de Políticas de Igualdade Racial/PEPPIR.

10:00: Discussão e aprovação do documento base da II CONAPPIR.

13:00: Almoço

15:00: Plenárias para eleição de delegados

17:00: Encerramento da II CONEPPIR.

18:00: Programação cultural.

18:30: Jantar

DIA: 17/05/09 (DOMINGO)

7:00: Café da manhã.

SAÍDA AO MEIO DIA.

Info: (91) 40092721/40092737

sábado, 2 de maio de 2009

A Conferência Estadual será no Hangar.

CEPPIR/SEJUDH e representantes do Movimento Negro em plenária de organização do II CONEPPIR-PA



O Governo do Estado do Pará convocou a II CONEPPIR para o período de 14 a 16 de maio de 2009, e vai acontecer no Hangar - Centro de Convenções, endereço: Avenida Dr. Freitas, s/n, Bairro do Marco.


A programação começou em 2007, com reuniões com as comunidades quilombolas, comunidades de terreiros e movimento negro urbano. Vários encontros foram realizados nas micro-regiões do Estado do Pará para discussão da temática e escolha de delegados durante o primerio semesmtre de 2008, com o adiamento da CONAPIR previsto pra acontecer no ano passado, e finalmente com a confirmação de sua realização em junho de 2009, aproxima-se o ápice do processo estadual de construção propostas de políticas públicas para as populações negras que vivem no Pará.


A programação ainda está em construção e em breve atualizaremos essa informação.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

ReuniãO C/ AS LIDERENÇAS, QUARTA, 4 DE ABRIL 9 HORAS

Até o exato momento a data da Conferencia Estadual de Promoção da Igualdade Racial está mantida (30 de Abril a 2 de maio). Estamos convocando todas as lideranças para reunião próxima quarta-feira , 4 de abril, no auditório da CEPPIR/SEJUDH às 9h.

domingo, 16 de novembro de 2008

Fotografias de meus albuns

http://picasaweb.google.com.br/etetuba/Coppir#

http://picasaweb.google.com.br/etetuba/MovimentoNegro#

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Aguardem convocatória

A Coordenadoria Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade racial - CEPPIR, já está se preparando para a realização da II Conferência Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade Racial que acontecerá no nos dias 18, 19, 20 e 21 de março de 2009; no Anguar, para isso percorrerá um vasto caminhos de acontecimentos: neste momento realizamos convênios, reuniões, ações e projetos juntos as populações negras rurais (quilombolas) e negros urbanos (afros-religiosos, capoeras, hip hop, reggae, músicos negros, culinária negra, poetas negros, organizações negras, etc); será convocada uma reunião ainda este mês com todos os representantes do GT para discutir os encaminhamentos sob o que vem sendo feito para a reaçlização e execução do mesmo; iremos debater a nossa participação no Fórum Social Mundial e definir a data de lançamento do Programa Pará Quilombola.


a)Coordenadoria


Belém, 09/07/08

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Fotos da reunião metropolitana, dia 7 de junho.

O dia 7 de junho de 2008, ficará marcado de demarcado para sempre na história política da região Metropolitana de Belém: 5 municípios, 3 distritos, 311 participantes, mais de 200 prpostas, 150 delegados, Diretor, coordenador, secretários de estado, capoeira, hip hop, afros-religiosos, índios, mulheres negras, juventude negras, mais de 35 movimentos negros organizados, quilombolas, etc no I Encontro da Região Metroplolitana de Belém, organizado pela Coordenadoria Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEJUDH), com muita honra esta remando para chegar ao Plano Estadual de Políticas de Promoção da Iguadade Racial (Domingos Mocambeiro Conceição), muito axé para toda (o)s.






















quarta-feira, 14 de maio de 2008

Governo do Pará entrega títulos de posse a quilombolas

Da Redação
Agência Pará


Emocionado, o representante da Associação Vida para Sempre agradece a governadora Ana Júlia Carepa pelo título

O representante das comunidades beneficiadas dos quilombolas Nerci Aguiar, junto a governadora Ana Júlia Carepa, assina o título de posse

Para os integrantes dos movimentos Mocambo e Molambo, hoje foi realizada a conquista de um sonho antigo
Representantes de cinco comunidades remanescentes de quilombos no Pará receberam nesta terça-feira (13), às 21 horas, no Palácio do Despachos, mais cinco títulos de posse, das mãos da governadora Ana Júlia Carepa e do presidente do Instituto de Terras do Pará (Iterpa), José Héder Benatti.
O Iterpa entregou títulos para os quilombolas das áreas de Matias (município de Cametá), Macapazinho (de Santa Izabel do Pará), Menino Jesus (São Miguel do Guamá), Jacarequara e Tipitinga (em Santa Maria do Pará). Para Jucirene Ferreira de Souza, da comunidade de Macapazinho, para quem a conquista era um sonho antigo, uma das maiores dificuldades vivenciadas era o pouco espaço para trabalhar.

Ana Júlia Carepa afirmou que o compromisso do governo é regularizar mais cinco áreas até o final do ano, o que vem atender a reinvindicações muito antigas. Os títulos entregues são referentes a 3.700 hectares regularizados: desde o início do governo, mais de 6 mil hectares foram entregues aos quilombolas.

Para a governadora, o Estado dará suporte para que a população quilombola possa se desenvolver de forma sustentável. “É um novo modelo de ordenamento que vai mudar a realidade do Pará”, acrescentou ela, informando que, nessa primeira etapa do programa, a expectativa é atender a 39 municípios em 2008.

Vitória - O representante das comunidades beneficiadas, Nercy dos Santos, agradeceu o empenho da governadora e dos demais órgãos na demarcação e titulação coletiva das terras. Para ele, a realização é a certeza de “uma vida digna aos nossos filhos e netos dos quilombolas”. Já o representante do Incra, Elielson da Silva, resumiu que o programa é uma sinalização concreta do governo federal, um passo significativo na melhoria da qualidade de vida dos remanescentes de quilombos.

Segundo José Héder Benatti, “reconhecer o direito à terra é reconhecer a diversidade cultural”. Ele ressaltou, ainda, que a política do governo prevê a utilização das áreas de forma sustentável. "Para isso, o Instituto oferecerá o devido suporte às comunidades. O governo federal repassou verba para desapropriar estas áreas, para poder entregá-las aos quilombolas, numa ação conjunta do Estado com a União", informou.

Emoção - “Não tenho palavras para dizer o que é ser dono da terra”, declarou João Tavares dos Santos, coordenador da comunidade de Matias, que reúne 372 habitantes, totalizando mais de 60 famílias. Ele explicou que, desde 2006, os quilombolas da área lutam pela terra, preparando os documentos necessários. “Antes éramos considerados posseiros, estávamos na terra, mas não aparecíamos no mapa”, contou.

O racismo, de acordo com Luiz Romano Araújo, diretor da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), que representou a secretária Socorro Gomes, é um problema que precisa ser conhecido a fundo. “Pretendemos garantir os direitos humanos dessas pessoas, e a secretaria é esse instrumento”, frisou Luiz Romano.

“Não basta titular a terra”, ressaltou Domingos Conceição, da Sejudh. Ele enfatizou a política de descentralização adotada no Plano de Política da Promoção da Igualdade Racial da secretaria. São ações desenvolvidas na saúde, educação e emprego e renda. A coordenadoria é o canal que serve para discutir ações, articular, propor e dialogar com os demais órgãos estaduais e com a sociedade, levando atendimento a diversos municípios, como Oriximiná, Gurupá e Breves. Ele disse ainda que é preciso conseguir a adesão ao programa de outros setores da sociedade.

Minuta - Promover a igualdade social, levando ao conhecimento da população as políticas públicas implementadas pelo governo estadual, é o objetivo da Coordenação de Promoção da Igualdade Racial da Sejudh. Nesse sentido, a secretaria apresentou, às 15h30 desta terça-feira (13), a minuta do Plano Estadual de Promoção da Igualdade Racial da Sejudh e o anexo Pará Quilombola.

Com a presença da secretária Socorro Gomes, o evento ocorreu na sede da secretaria, com a participação de servidores do órgão e titulares das coordenadorias.

Domingos Conceição destacou o teor do diagnóstico que está sendo elaborado. O documento mapeia a realidade sócio-econômica da população negra do Estado, nas zonas urbana e rural, que concentra, atualmente, cerca de 50 mil quilombolas em mais de 320 comunidades, totalizando 27 áreas tituladas.

Além de quilombolas, também participaram da cerimônia o procurador Geral do Estado, Ibrahim Rocha; o secretário de Estado de Integração Regional, André Faria; o secretário de Estado de Comunicação, Fábio Castro; o procurador Geral de Justiça do Estado, Geraldo Rocha; Elielson Ferreira da Silva, representando a Superintendência Regional do Incra, e representantes de diversos movimentos sociais, como o Mocambo e o Molambo.

Texto: Luciane Fiuza - Secom